Viajar para a Itália (ou qualquer país do Espaço Schengen)

COMO TIRAR O PASSAPORTE ITALIANO
07/12/2017
SEGURO VIAGEM – O QUE VOCÊ PRECISA SABER
21/12/2017
Mostrar Tudo

Viajar para a Itália (ou qualquer país do Espaço Schengen)

E agora no final do ano você resolveu viajar para a Itália, antes de tudo, lembre-se que por lá é inverno e que você deve se precaver levando roupas e casacos quentes, assim como sapatos, ok? Além disso, você precisará de toda uma série de documentos para poder entrar na Itália e na União Européia.

ORGANIZANDO SUA VIAGEM

Toda a documentação que eu falarei aqui é obrigatória, e sem algum desses documentos, você será mandado de volta ao Brasil sem colocar um dedinho que seja, na Itália ou em qualquer outro país da União Européia.

1. Brasileiros sem cidadania italiana:

Se você não possui cidadania italiana, você terá que seguir as regras determinadas aos turistas dentro do Espaço Schengen, que são:

A) Passaporte válido

Brasileiros sem cidadania italiana, para viajar à Itália precisam que seus passaportes sejam válidos, para isso, devem ter, obrigatoriamente, data de validade de 3 meses após a data marcada em sua passagem de volta. Ou seja, se você vai passar 10 dias na Itália (ou em qualquer país do Espaço Schengen), precisa desembarcar por lá com o passaporte válido por pelo menos 3 meses e 10 dias. Ou se você ficará o tempo máximo permitido sem visto, que é de 90 dias, seu passaporte precisa ter validade de 6 meses.

Deixo uma dica de ouro que te ajuda a se preocupar menos com essas questão de validade de passaporte: Sempre renove seu passaporte quando faltarem 8 ou 7 meses para ele expirar.

Não há a necessidade de visto, brasileiros que viajam a turismo têm o direito de transitar dentro do Espaço Schengen por 90 dias.

B) Seguro Viagem

Aqui é uma questão delicada, porque muitas pessoas acreditam que é jogar dinheiro fora fazendo um seguro viagem, pois falo para vocês, não é. Primeiro porque está dentro das normas do Tratado de Schengen a obrigatoriedade de se viajar com um seguro viagem e segundo que se você precisar, ele já está pago e você não terá que desembolsar euros para pagar por um hospital ou algum tratamento que por ventura você precise. Além do que, caso o fiscal de imigração peça para você mostrar a apólice do seguro e você não a possui, ele simplesmente não te deixará entrar no país.

Certa vez, uma amiga viajou para a Itália e acabou caindo e quebrando o tornozelo, como ela tinha seguro viagem, teve todo o tratamento pago pela empresa do seguro que ela havia contratado.

Portanto, não deixe de contratar um seguro viagem! As pessoas acham besteira gastar 200 reais, mas isso pode fazer você perder uma viagem que está toda paga, ou te fazer gastar euros com assistência médica.

C)Comprovante de hospedagem ou carta-convite

Outro documento que pode ser exigido pelo oficial de imigração são os comprovantes de hospedagem ou a carta-convite.

Os comprovantes de hospedagem são aqueles que você recebe por e-mail quando faz a reserva do hotel. Nem pense em viajar sem ter lugar para ficar, sem esses comprovantes, o oficial também te colocará de volta no avião para o Brasil.

A carta-convite serve quando você tem um amigo, parente, etc (que vive legalmente na Europa -mais especificamente no nosso caso na Itália- sendo ou cidadão  europeu, ou tendo visto para morar legalmente por lá), que vai te hospedar na casa dele. Essa pessoa deve fazer uma carta de próprio punho, dizendo que ele será sua anfitriã, juntando cópia do documento de identidade e endereço dele.

D)Comprovação de condições financeiras

O trabalho do oficial de imigração é controlar que as pessoas que estão entrando em território italiano (ou europeu), não estejam com a intenção de permanecer ali por mais de 90 dias, por isso, a necessidade do passaporte válido, seguro viagem, comprovante de hospedagem, bem como comprovação financeira.

Para que você possa entrar no Espaço Schengen, é necessário que você tenha o mínimo de 65€, por dia de viagem e por pessoa.

Como comprovar esse valor? Através de extrato bancário do seu cartão pré-pago, ter o dinheiro em espécie, extrato de cartão de crédito, saldo de conta corrente.

E)Passagem de retorno

O maior objetivo do viajante que não possui cidadania italiana (ou outra européia) é não ser confundido com um imigrante ilegal, portanto, além de toda a documentação acima e o valor necessário em dinheiro, você precisa ter uma passagem de retorno comprada, obrigatoriamente. Ainda no momento do check in, a própria companhia aérea verificará se você possui a passagem de volta, caso não possua, é bem provável que a companhia não deixe você embarcar, isso por precaução, para que você não tenha problemas e nem eles por terem deixado embarcar uma pessoa sem passagem de volta.

Mas e se eu for viajar por países do Espaço Schengen e depois continuar a viagem para países que não fazem parte e só depois eu retorno ao Brasil? Você terá que apresentar todas as suas passagens, a de saída do país do Espaço Schengen, e a de retorno para o Brasil.

Dica de ouro 2: Junte toda essa documentação em uma pastinha e a deixe de fácil acesso em sua bagagem de mão. Eu sempre digo para os meus amigos fazerem mais de uma pasta, porque se o oficial resolver ficar com algum documento, ou cismar de dizer que está faltando alguma coisa, você tem outra cópia para mostrar que está tudo ali. Normalmente, indico que se façam 3 pastas iguais, porque toda essa documentação é impressa, então é fácil de se fazer várias cópias.

2. Brasileiros com dupla cidadania italiana ou de qualquer país da União Européia

O que pessoas que possuem cidadania italiana ou outra dupla cidadania da União Européia precisam para viajar dentro do Espaço Schengen, ou dentro da Itália?

Seu documento de viagem, ou seja o passaporte italiano, sua mala, sua passagem de ida e a vontade de conhecer os lugares maravilhosos que a Itália e a Europa têm a oferecer.

Cidadão italiano não precisa levar nenhuma dessas documentações que falamos logo acima, ser cidadão italiano, é ser cidadão europeu e você tem direito à livre circulação, sem tempo mínimo ou máximo, sem ter que comprovar renda, nada. Tanto que existe a fila da imigração para aqueles que precisam comprovar tudo que foi dito aí em cima e não existem filas para quem é cidadão italiano/europeu. Você chegará na imigração e passará seu passaporte italiano em um scanner, e a portinha abrirá para você passar; não te farão perguntas, nada. Eu digo que é como passar o bilhete único na catraca do metrô, passou, escaneou, entrou, simples assim.

E aí? Você está esperando o que para curtir uma bela viagem pela Itália (ou pela Europa), sem ter todo esse trabalho de ter pasta cheia de documentos? Faça a sua cidadania italiana e viaje tranquilo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − 1 =

O conteúdo de texto, foto e vídeo do site CIDADANIA TUTTO A POSTO não pode ser copiado ou reproduzido sem autorização prévia.

Quer saber se tem direito a Cidadania Italiana ou Nacionalidade Portuguesa? Clique no botão abaixo e faça uma pré-consulta.
FAÇA UMA PRÉ-CONSULTA GRATUITA!
Fazer pré-consulta